• Laura Assis

Em busca de si mesmo

Até bem pouco tempo atrás eu não sabia exatamente quem era eu. Normal nos dias de hoje! Quase ninguém se conhece e por isso algumas pessoas se machucam e se sufocam tanto. Quanta gente vai me dizer que se conhece... mas eu não estou falando de saber qual a sua cor ou comida favorita, menos ainda de saber onde você quer morar ou o que fazer da sua vida.

A verdadeira questão, o cerne de todo o conhecimento começa com um "por que". Você sabe por que chegou daquela festa arrasada? Ou por que se sentiu péssima no outro dia se saiu de lá tão bem? Você sabe por que reage de diversas maneiras diante de diversas situações? Pois é! A maioria de nós não sabe. Nós costumamos passar a metade da vida sem saber quem somos, sem saber que valor temos. Sem saber o que nos machuca ou nos engrandece...

Sabe o que acontece quando você não sabe quem você é ou o valor que tem? Você deixa as pessoas tratarem você pelo valor que elas julgam que você tem. E aí você, que já não sabia seu valor, vai se minimizando mais e mais, até pensar que não vale quase nada... A dificuldade é perceber que você não se conhece e compreender que é justamente isto que traz tanta coisa negativa pra sua vida. É difícil chegar à conclusão de que você não sabe praticamente nada sobre si mesmo e por isso permite que certas coisas aconteçam em sua vida.

Sim! Algumas coisas em nossa vida só acontece quando permitimos. Um pássaro só entra se a janela estiver aberta. O sol só queima se você estiver exposto. Portanto, se você souber quem você é e o quanto você tem valor, não se envolver em relacionamentos abusivos, não vai permanecer em amizades que te colocam pra baixo, não vai mais frequentar lugares que sugam você.

Houve um tempo, quando eu não sabia quem eu era, em que eu me deixei ser usada de diversas formas e para diversos fins. Me sentia um lixo e nunca entendia o porquê. Me sentia desvalorizada, mas a culpa não era de mais ninguém a não ser toda, TODA minha. Sim, toda minha. Porque quando eu permiti que determinada pessoa fizesse parte da minha vida íntima e lhe dei autoridade emocional sobre mim, eu estava deixando que ela definisse o valor que eu tinha, porque eu mesma não sabia.

Autoridade emocional é algo que você só deve dar a alguém depois de ter certeza de quem você é e o que merece. Depois de tirar seu "Phd em autoconhecimento". Pessoas a quem oferecemos esse tipo de privilégio podem nos fazer crescer, podem nos elevar, nos edificar. Mas também podem nos destruir em questão de semanas, sem que sequer notemos que foi ela quem nos derrubou.

Autoconhecimento não vem apenas dos livros e das milhares de palestras, lives, videos que você pode encontrar por aí. Tem a ver como você se sentar alguns minutos por dia e tentar compreender se o seu dia foi realmente bom e porquê. Ou, se ele tiver sido ruim, se perguntar se ele realmente foi ruim, se não foi você que colocou os pés na água esperando que estivesse quente e se frustrou porque estava fria. Se perguntar porque reagiu de determinadas maneiras durante o dia, ao longo da semana. Se observar, entender e respeitar seus limites. Descobrir o que você realmente quer e precisa. Aprender tudo sobre si mesmo, se enfrentar e dizer "ah, não, você não vai estragar isso aí" ou "você merece muito mais"...

Experimente! Dez minutos por dia, antes de dormir. Não custa nada e pode fazer de você alguém muito mais leve e feliz!!

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo